Posts com a Tag ‘anestesiologia veterinária’

Considerações sobre as mudanças, feitas pelo CFMV

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Dois dias atrás, trocava idéia com um amigo e colega Médico Veterinário.

E sobre estas mudanças, ele questionou a obrigatoriedade de ter aparelho de anestesia e desfibrilador, no centro cirúrgico!

Apesar de utópico, concordamos sobre a obrigação de ter desfibrilador (óbvio que é necessário, existir profissional capacitado em saber como utilizá-lo e EM QUAL MOMENTO UTILIZÁ-LO!).

Ocorre uma fibrilação cardíaca (algo bem genérico! Pois, pode ser atrial, ventricular, etc…) e o desfibrilador pode fazer a diferença entre a vida e a morte, entre fatalidade ou negligência/imperícia/etc.

 

Como disse acima, ISTO É TOTALMENTE UTÓPICO, em nossa realidade brasileira!

Mesmo assim…ok…menos pior que OBRIGAR O MÉDICO VETERINÁRIO, TER APARELHO DE ANESTESIA INALATÓRIA, EM SEU CENTRO CIRÚRGICO!

Esta obrigatoriedade, é uma contradição ao sistema democrático e, também, para com a ANESTESIOLOGIA VETERINÁRIA!

Meu…se levar em consideração, o velho jargão catedrático:

O MELHOR PROTOCOLO ANESTÉSICO, É AQUELE EMPREGADO COM MAIOR “FAMILIARIDADE”, PELO MÉDICO VETERINÁRIO!

 

Ou seja: o colega vai escolher o protocolo anestésico, de acordo com a técnica, que lhe dá segurança, possui conhecimento técnico , etc..

Se este protocolo for inalatório, beleza…se for dissociativo, beleza…

Agora, se o colega que está acostumado com determinado protocolo e se vê obrigado a modificá-lo: inalatória para dissociativa ou vice-versa, as chances de não obter êxito, é considerável e coloca em risco, a vida do paciente!

Ao invés disto, se o CFMV tivesse, no mínimo, bom senso, ao invés de exigir aparelhos, exigisse que a anestesia seja feita por ESPECIALISTA!

Aí sim! Isto é valorizar a Medicina Veterinária!

Se o anestesista, escolher inalatória ou dissociativa…meu…fará com critério!

Não cabe ao cirurgião ou ao dono da clínica ou HV, exigir que o anestesista, use inalatória!

Caso exija, isto é falta de respeito para com o ser-humano e, por conseguinte, para com o Médico veterinário!

Também cabe ao anestesista, aceitar ou não aceitar realizar o procedimento!

A não ser que esteja com um revólver, apontado para sua cabeça e sob ameaça!

E, ele levará em consideração, inúmeros critérios, para concluir se aceitará fazer a anestesia ou não aceitará!

Isto iniciará um feedback positivo, uma reação em cadeia!

Colega clínico-cirurgião, que não orientou os clientes, em fazer exames pré-operatórios e, por isto, deixaram de fazer, chama o anestesista….enfim…conseguem visualizar todo o “cenário”, ou terei que desenhar!?

Inteligência sem bom-senso, é a mesma coisa que burro com viseiras!